quarta-feira , agosto 15 2018

BSCA: Brasil potencializa seu mercado de cafés especiais no Japão

Empresários nacionais concretizaram US$ 4,8 milhões em negócios na principal feira do setor no país asiático. Há estimativa para a realização de mais US$ 17,6 milhões nos próximos 12 meses

De 28 a 30 de setembro, 25 empresas brasileiras de cafés especiais participaram da SCAJ World Specialty Coffee Conference and Exhibition 2016, a principal feira do setor no Japão. A ação, que faz parte do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”, desenvolvido em parceria pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), efetuou a realização de US$ 4,8 milhões em negócios no evento, e poderá render mais US$ 17,6 milhões ao longo dos próximos 12 meses.

Segundo a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, o mercado nipônico permanece estratégico para os cafés especiais brasileiros, seja pelos volumes representativos, pela posição de proeminência conquistada pelo Brasil ou pelas fortes relações construídas entre os países com a imigração japonesa. “O Japão se consolidou, nas últimas décadas, como um dos principais mercados para os cafés especiais nacionais. A trajetória de evolução neste país sempre foi acompanhada de perto pelo Brasil, com intensa participação da BSCA e da Apex-Brasil, resultando no fato de o Japão ser o segundo principal mercado dos nossos produtos, com investimentos de US$ 355 milhões em 2015, atrás apenas dos EUA”, revela.

A participação na feira se deu em um amplo estande no pavilhão do Brasil, onde houve degustação permanente de cafés nacionais e sessões de cupping complementares, além da principal ação, a sessão “Taste of the Harvest”, organizada em parceria com a Associação de Cafés Especiais do Japão e que contou com convidados locais e cafés certificados selecionados pela BSCA.

Também fizeram parte das atividades uma palestra sobre pós-colheita e tecnologia de embalagem, proferida pelo professor do Departamento de Engenharia da Universidade Federal de Lavras (Ufla), Flávio Borém, e um seminário dedicado aos cafés brasileiros, conduzido pelo presidente da BSCA, Adolfo Ferreira.

A delegação brasileira presente ao evento foi composta pelas empresas AC Café, Bourbon Specialty Coffees, BrFair, Capricornio Coffees, CarmoCoffees, Cooperativa Cocarive, Cooperativa Cocatrel, Cooperativa Minasul, EcoAgrícola, Fazenda Braúna, Fazenda Capim Branco, Fazenda Carmo Estate Coffees, Fazendas Caxambu e Aracaçu, Fazenda Lagoa, Fazenda Passeio, Fazenda Samambaia, Fazenda São Francisco, Guima Café, Ipanema Coffees, Kaphé, Klabin, Monte Alegre, O’Coffee, SMC Café e Videplast.

SOBRE O PROJETO SETORIAL

O “Brazil. The Coffee Nation” é desenvolvido em parceria pela Associação Brasileira de Cafés Especiais e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), tendo como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no País.

O projeto visa, também, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros. Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto vai de maio de 2016 ao mesmo mês de 2018 e os mercados-alvo são: (i) EUA, Canadá, Japão, Coreia do Sul, China/Taiwan, Reino Unido, Alemanha e Austrália para os cafés crus especiais; e (ii) EUA, China, Alemanha e Emirados Árabes Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

Fonte: Portal do Agronegócios

Comentários

comentários

Tente de novo

Justiça Federal nega tentativa da defesa e confirma legalidade de escutas na Lama Asfáltica

3ª Vara também reafirmou competência para julgar desvios de verba do BNDES O juiz da ...