domingo , agosto 19 2018

Mato Grosso é o terceiro em contratos do Plano ABC com 12% de captação de recursos

Produtores de Mato Grosso captaram 12% dos R$ 2,05 bilhões disponibilizados pelo Programa de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC) entre 2015 e 2016

]

O Estado foi o terceiro que mais contratou somando no período R$ 248 milhões, ficando atrás apenas de Goiás (R$ 366 milhões) e de Minas Gerais (R$ 273 milhões).

Os R$ 2,05 bilhões captados, até o momento, pelos produtores rurais do Brasil representam cerca de 68% dos R$ 3 bilhões destinados ao programa para a safra 2015/2016. O volume total é inclusive 33% menor que os R$ 4,5 bilhões do ciclo 2014/2015.

Os números de recursos obtidos integram um levantamento do Observatório do Plano ABC, do Centro de Estudos do Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas.

Segundo o levantamento, Mato Grosso ultrapassou São Paulo, que sempre figurou em terceiro e na safra anterior ficou em quarto lugar.

De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), workshops para a conscientização dos produtores quanto ao Plano ABC foram realizadas em 17 cidades, atingindo um público de 640 pessoas.

O foco dos workshops, explica o secretário adjunto de Agricultura da Sedec, Alexandre Possebon, foi conscientizar os produtores mato-grossenses quanto à oferta do financiamento e da necessidade dos técnicos e projetistas serem capacitados. Após isso, pontua Possebon, 318 profissionais foram capacitados e participaram de dia de campo.

As ações foram promovidas nos municípios de: Campo Verde, Primavera do Leste, Alto Garças, Barra do Garças, Água Boa, Confresa, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Alta Floresta, Juara, Juína, Tangará da Serra, Cáceres, Poconé, Cuiabá, Chapada dos Guimarães e Jaciara (capacitações). E Rondonópolis, Nova Xavantina, Sinop, Campo Novo do Parecis e Cuiabá, as capacitações.

“Muitos dos produtores rurais que participaram dos workshops não sabiam da existência da linha de crédito. E identificamos na capacitação que os projetistas tinham dúvidas quanto à elaboração e o formato do projeto”, explica a superintende de Cadeias Produtivas da Sedec, Andressa Ribeiro.

Os recursos captados no Plano ABC pode ser utilizados para investimentos como aquisição de insumos, sementes e mudas para a formação de pastagem e floresta, aquisição de animais (bovinos, ovinos e caprinos) para reprodução, recria e terminação, serviços de agricultura de precisão, entre outros.

O trabalho com os produtores e profissionais foi desempenhado por meio de convênio com Ministério da Agricultura (Mapa) e parceiros como a Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), Banco do Brasil, Aprosoja, Acrimat, Acrismat, Associação de Reflorestadores de Mato Grosso (Arefloresta), Famato, Embrapa, Sindicatos Rurais e prefeituras dos respectivos municípios.

Fonte: Portal do Agronegócios

Comentários

comentários

Tente de novo

Regras para renovação da CNH podem mudar em breve

Está em estudo no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) uma alteração que prevê o fim ...