sexta-feira , fevereiro 23 2018

Por ‘sonho’, cabo da PM monta dupla e segue carreira paralela no sertanejo

Militar diz que recebe apoio do comandante e fez CD com a ajuda de amigos.
Auto de 300 canções, ele quer viver de música junto com parceiro mecânico.

 

Durante o dia, o cabo da Polícia Militar Flagnir dos Santos, de 33 anos, está sempre alerta para realizar o patrulhamento em Mineiros, na região sudoeste de Goiás. Já em algumas noites e finais de semana, ele guarda a farda para atuar como cantor sertanejo. Em busca do “sonho” de viver de música, ele formou com um amigo a dupla César e Gabriel e concilia as duas carreiras simultaneamente.

Ouça acima a música “Aqui Você Trompa no Farpado”, uma das 14 que integram o CD de César e Gabriel.

Flagnir, que usa César como nome artístico, se juntou há um ano e meio com o mecânico Wesley Alves Medeiros, de 25 anos, que adotou o nome Gabriel. O policial se gaba de ter escrito mais de 300 canções.

O gosto pela música começou quando ele ainda morava em Bela Vista (MS), sua cidade natal, e com um ritmo bem diferente. “Eu tocava em uma banda de rock, era guitarrista. Sempre gostei de música com letra, independente do estilo. Mas o sertanejo, lá na minha terra, ‘é quem comanda’. E eu também já curtia também e resolvi aderir”, disse ao G1.

Por 'sonho', cabo da PM monta dupla e segue carreira paralela no sertanejo em Goiás (Foto: Divulgação)Policial militar e mecânico formam dupla sertaneja em Mineiros (Foto: Divulgação)

César ainda cursou educação física e atuou como professor. Mudou-se para Goiás há sete anos, quando passou no concurso da PM. Em seguida, ingressou na faculdade de direito, que terminou no ano passado, quando conheceu o parceiro.

“Eu ia tocar numa república onde um colega morava e conheci o Wesley, que também tinha esse sonho de viver de música. Começamos a conversar e o convidei para formarmos a dupla”, conta.

Gabriel, que começou a cantar na igreja com 9 anos, partilha da mesma vontade do parceiro. Natural de Rondonópolis (MT), ele rodou por cidades de São Paulo e viveu em Goiânia antes de se estabelecer em Mineiros. Para ele, cantar ao lado de um militar é um orgulho.

Por 'sonho', cabo da PM monta dupla e segue carreira paralela no sertanejo em Goiás (Foto: Divulgação)Por ‘sonho’, cabo da PM monta dupla e segue carreira paralela no sertanejo (Foto: Divulgação)

“É uma honra. Ele defende vidas e se destaca na profissão dele, além de ser inteligente, ter concluído duas faculdades. Para fazer música, pode ser policial, médico ou qualquer outra profissão, basta gostar e nascer com o dom”, destaca.

O empurrão que falta na vida artística, segundo César, é encontrar um bom empresário. “Agora, no começo, somos só nós dois. Precisamos de alguém com experiência no ramo para nos ajudar”, salienta.

Apoio dos amigos e do batalhão
Para seguir com as duas funções, César conta com ajuda dos amigos de todos os lados. Na corporação, ele afirma que o comandante é compreensivo quando tem apresentações marcada em barzinhos e boates da cidade, que ocupam a maioria de sua agenda artística.

“Ele ajuda muito, é bem tranquilo nesse ponto. Sempre que preciso, ele consegue uma troca de serviço para eu me apresentar. Os colegas da corporação também dão muita força e são sempre os primeiros a ouvir minhas músicas”, destaca.

Por 'sonho', cabo da PM monta dupla e segue carreira paralela no sertanejo em Goiás (Foto: Arquivo pessoal)Dupla com o cantor Loubet: conterrâneo já faz sucesso no sertanejo (Foto: Arquivo pessoal)

Os outros amigos contribuem de forma diferente. Com uma “vaquinha”, a dupla angariou fundos para gravar seu primeiro CD: “Da Garagem Para os Amigos”. Até o final de março, ele deve ser lançado e distribuído para que o público conheça as 14 faixas – todas compostas por ele.

Ídolos e sonhos
Fã das duplas Jorge e Mateus e Fernando e Sorocaba, César também curte um conterrâneo que começa a despontar no cenário sertanejo e é seu amigo: o cantor Loubet, que ganhou fama com a música “Made In Roça”.

O policial diz que algumas pessoas ficam surpresas ao saberem que ele também é cantor, mas que elogiam a iniciativa. É com essa força que ele segue firme na carreira artística.

“Nunca pensei que isso iria ocorrer. São dois caminhos completamente opostos. Mas faço pelo sonho de viver de música e quem sabe, tocar um dia no Festival Villa Mix”, revela.

 

Fonte: http://g1.globo.com

Comentários

comentários

Tente de novo

Ex-prefeito tem bens bloqueados por destinar casas populares à família

Decisão da Justiça Federal atende ao MPF, que acusa Rubens Freire Mariano de ter destinado ...