quinta-feira , julho 19 2018

Tim Maia ganha homenagem de músicos nos 20 anos de sua morte

Racionais, Criolo, CPM 22 e outros artistas falaram sobre a importância do cantor, que morreu no dia 15 de março de 1998

Nesta quinta-feira (15), faz 20 anos que Tim Maia morreu. Após duas décadas, não apareceu ninguém tão original, contestador e popular quanto Tim.

Logo de cara, um dos maiores méritos do compositor foi ter incorporado o soul americano ao ritmo brasileiro, quando voltou deportado de uma viagem aos EUA. De lá, ele trouxe o groove gringo, sem perder a brasilidade.

Com o primeiro disco homônimo, em 1970, Tim criou uma forma nova de compor e cantar. Entre os exemplos mais belos dessa fórmula estão os hits VocêAzul da Cor do Mar e Primavera.

Carioca nascido em 28 de setembro de 1942, Sebastião Rodrigues Maia levou uma vida tão intensa quanto polêmica. Dentro e fora dos palcos, Tim não poupava ninguém, pois sempre falou o que bem queria. Provocante, ele acabou criando frases célebres como: “O mundo só vai ficar legal quando acabar o dinheiro… porém, que não me falte nenhum por enquanto.”

Desafiador, ele também se tornou dono da própria carreira, quando achou que estava sendo explorado pelo sistema vigente. Enfrentou empresários ao se lançar independentemente no mercado, criando sua própria editora e gravadora (Seroma/Vitória Régia Discos). Fato comum hoje em dia, mas inusitado para uma época sem internet, dominada por grandes empresas fonográficas.

O rei do soul nacional morreu, em 1998, aos 55 anos, no Rio, devido a um quadro grave de infecção. O vozeirão subversivo, finalmente, estava calado. Porém, sua obra musical e pensamento instigante continuaram seguindo adiante.

Hoje, o compositor ainda continua influenciando inúmeros artistas de vários gêneros e idades.

Para homenagear o imortal Tim Maia, diversos músicos falaram para o R7 sobre a importância do cantor.

Hyldon Souza (cantor e parceiro de sucessos de Tim Maia)

— O trabalho dele como compositor e intérprete é muito importante. E, inegavelmente, o Tim foi um dos maiores cantores da musica brasileira. Além disso, ele teve essa visão do futuro, da globalização, trazendo a música negra americana para cá, dando um sotaque brasileiro. Os vocais e as levadas dos gringos foram misturados ao nosso ritmo, como podemos ouvir em Coroné Antonio BentoGostava Tanto de Você e outros sucessos.

Criolo

— Ele sempre foi uma felicidade para mim. Desde pequeno, eu curtia o Tim nos bailes de colégio ou de rua, onde as equipes de som faziam a festa para gente. Nos fins de semana aquilo era mágico. E o Tim Maia era dos poucos cantores que balançavam a massa: da criançinha até o vovô. Todos sabiam cantar as músicas dele. E, pra mim, que venho do rap, sempre foi uma fonte de inspiração musical. É muito cultuado no meio. Quando se fala dele, todo mundo abre um sorriso. Tim era uma pessoa autêntica e original que viveu intensamente. Não dá para medir a importância dele para a nossa cultura brasileira. É uma honra, para a gente a existência de um ser tão especial como esse.

Arnaldo Baptista (cantor solo e ex-Mutantes)

— Uma das coisas mais importantes da minha vida foi quando, no programa de TV Quadrado e Redondo(já extinto), encontrei-me com Sebastião Rodrigues (Tim Maia). Ele contou-me a respeito de sua vida em Nova York… e quando estava esquecido. Tim possuía um soul inigualável, no que diz respeito a psicodelismo e som total. E ele preferia o microfone AKG D-12, no qual sua voz aparecia empostada, pelo nariz, principalmente. Na época, eu escrevi uma carta de recomendação para o produtor André Midani. E deu certo!

Edi Rock (Racionais MCs)

— Quando penso em Tim Maia, lembro da minha adolescência, como se fosse ontem. Indo pela primeira vez, levado por amigos na época de Vila Mazzei (SP), a um baile black de nome Dançodromo. Era comandado pela equipe Zimbabwe, na Zona Norte. Eu devia ter uns 15 anos, já havia ido em algumas baladas, mas era o primeiro específico de música negra. Quando entramos, eu olhei aquele monte de gente dançando com aquelas “roupa louca” e pensei: “Até que enfim, é isso!”. Nesse momento, tocava Tim Maia, You Dont Know. Ele é uma das minhas influências e referência musical para todo o sempre! Salve, Tim Maia! E, sem ele, o nome Racionais MCs, com certeza, seria outro (risos).

Fonte: diversao.r7.com

Comentários

comentários

Tente de novo

Comarca de Bela Vista abre inscrições para seleção de estagiários

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo de estágio para acadêmicos de Direito na ...