quinta-feira , julho 19 2018

Após matar idosa, adolescente tirou foto com celular da vítima e atualizou Facebook

O infrator de 16 anos ficou quase 8 horas com o corpo

O adolescente de 16 anos que roubou e matou a advogada Clarinda Tamashiro, de 72 anos, na manhã de ontem, em Aquidauana, usou o celular da vítima para atualizar as redes sociais com fotos que tirou no local do crime.  Ele está apreendido na delegacia do município e aguarda uma vaga para ser transferido para Unidade de Internação (Unei).

Conforme as informações da Polícia Civil, depois de ter asfixiado a vítima ficar observando ela se debater até a morte, o adolescente tirou selfie no banheiro da casa onde a idosa morava e postou no Facebook.

Ele também teria enviado imagens do dinheiro roubado para o pai e para a irmã dele e ligou para um taxista perguntando o preço de uma viagem até Bonito, para onde planejava fugir.

O adolescente agiu sozinho e foi apreendido ainda no local do crime. Ele ficou cerca de 8 horas com o corpo.

O CASO

O adolescente de 16 anos, suspeito de matar e roubar a advogada Clarinda Tamashiro, de 72 anos, na manhã de ontem, em Aquidauana, assumiu a responsabilidade sobre o crime de latrocínio. Demonstrando frieza que impressionou até a polícia, ele confessou ter assistido a vítima morrer por asfixia e ficou na casa com o corpo por aproximadamente 8 horas. Ele planejava fugir com R$ 13.800 encontrados no guarda-roupas, mas acabou apreendido no local.

Conforme explicado pelo delegado Éder Oliveira Moraes, titular da 1ª Delegacia de Polícia do município, o menor disse em depoimento que já tinha roubado a idosa outras três vezes, inclusive em dezembro do ano passado, quando levou o celular e R$ 5 mil dela. Por este motivo, conhecia bem o local dos fatos e sabia que horas a vítima acordava. O crime foi cometido no Depósito Tamashiro, localizado no Bairro Alto. O estabelecimento era administrado pela vítima e também era onde ela morava.

O garoto chegou por volta das 5 horas de ontem e ficou esperando Clarinda acordar. “Ele se escondeu no quintal, pois sabia que a cozinha da casa ficava em uma área separada e que bem cedo a vítima teria que sair”, relatou o delegado. Às 6 horas a vítima abriu a porta e saiu, conforme esperado, oportunidade em que o autor entrou escondido e foi para o quarto dela, ficando atrás da porta. “Ele disse que a mulher vestia apenas uma camiseta, sem roupas íntimas, motivo pelo qual teria sido encontrada nua”.

Sem perceber a presença do estranho, a vítima voltou para o quarto, oportunidade em que foi agredida com soco no rosto, sofrendo corte profundo. Em seguida, o menor a segurou pela boca para que não gritasse e a encurralou contra a parede. A idosa não resistiu e caiu. “Ele então amarrou ela pelas mãos e pés com fios de eletrodomésticos, tapou a boca dela com toalha e passou fio por cima, para garantir que a toalha ficasse firme”, explicou.

Como se não fosse suficiente, adolescente pegou o fio de telefone e enrolou em volta do pescoço de Clarinda, asfixiando-a lentamente. “Neste momento é que temos certeza da crueldade do crime. Ele ficou observando a vítima se debater, lutando pela vida, até não conseguir mais”. Após a morte, começou a vasculhar a casa em busca de objetos de valor, encontrando R$ 13.800 no guarda-roupas.

*Com informações o Pantaneiro

 

Fonte: correiodoestado.com.br

Comentários

comentários

Tente de novo

Comarca de Bela Vista abre inscrições para seleção de estagiários

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo de estágio para acadêmicos de Direito na ...