segunda-feira , junho 18 2018

Lei Chico Pinheiro: Globo proíbe jornalistas de opinarem até em privado pelo WhatsApp

A nova norma foi apelidada internamente de “Lei Chico Pinheiro”, por conta de áudio de jornalista vazado nas redes sociais apoiando Lula

De acordo com informações da coluna NTV, do UOL, a Globo vai publicar nos próximos dias uma nova edição dos Princípios Editoriais do Grupo Globo, documento que normatiza a conduta ética de seus jornalistas. A norma, que já é apelidada internamente de “Lei Chico Pinheiro”, por conta de áudio do jornalista vazado nas redes sociais apoiando Lula, está sendo considerada como “terror” por alguns profissionais da emissora.

De acordo com a nova edição do manual, jornalistas da emissora não vão poder se engajar em campanhas políticas de forma nenhuma, nem trabalhar, anunciar apoio publicamente ou usar adereços que os vinculem a partidos ou candidaturas.

As precauções redobradas em ano de Copa e eleições fez com que a Globo proibisse até mesmo preferência por clubes de futebol e manifestações sobre temas políticos em conversas privadas pelo WhatsApp.

“É natural que as diretrizes da empresa sejam atualizadas com diretrizes mais detalhadas sobre o uso de redes sociais, na linha do que já fizeram veículos de prestígio como The New York Times e BBC. Essas diretrizes visam a evitar tudo o que comprometa a imagem de isenção dos veículos do Grupo Globo”, disse o departamento de Comunicação em nota ao Notícias da TV.

Caso Chico Pinheiro

Circulou pelas redes em abril um áudio com a voz do jornalista indignado com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nele, Chico Pinheiro, lembra a frase de Lula momentos antes de ser preso: “Eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia e ideia não se prende”.

Logo mais adiante, o jornalista acrescenta: “Realizaram o fetiche. O fetiche deles era Lula na cadeia. Não foi feito do jeito que eles queriam, mas o Lula foi. E agora? O que vão fazer agora? Como é que fica? Qual é o próximo passo? Que o Lula tenha calma e sabedoria, inspiração divina para ficar quieto onde ele está”.

 

Fonte: revistaforum.com.br

Comentários

comentários

Tente de novo

Morte de PM é apurada em segredo e tem traços de pistolagem da fronteira

Ilson Martins de Figueiredo, de 62 anos, foi executado com tiros de fuzil AK-47 após ...