Polícia descobre casa do PCC na fronteira e confronto tem 8 mortos e fuzis apreendidos

Carros roubados apreendidos durante confronto (Divulgação)

O confronto com policias do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), Bope (Batalhão de Operações Especiais) e DOF (Departamento de Operações de ), na noite desta segunda-feira (11) em Ponta Porã, a 346 quilômetros da Capital, acabou na  de 8 membros da facção criminosa  (Primeiro Comando da Capital) e a apreensão de fuzis.

Informações obtidas pelo Jornal Midiamax são de que depois de prisão e expulsão de Giovanni Barboza da Silva, o ‘Bonitão’, do , a polícia descobriu que a facção criminosa tinha uma casa de apoio no Brasil, com isso, equipes do Garras se deslocaram para a fronteira em apoio a 1º Delegacia de Polícia de Ponta Porã.

Quando os policiais chegaram na casa, encontraram 8 membros da facção na residência, sendo que dois conseguiram pular o muro e fugir. Houve confronto e seis acabaram mortos nesse primeiro confronto. Equipes do DOF e Bope vasculharam a região e encontraram os outros dois fugitivos, que também morreram em troca de tiros.

Na casa foram apreendidos dois fuzis, quatro pistolas e dois carros roubados. Foram encontrados documentos de identidade paraguaios com os membros da facção, mas seriam falsos e a polícia agora tenta a identificação dos mortos.

Tentativa de  de ‘Bonitão’

Imagens de câmeras de segurança do atentado a delegacia em Pedro Juan Caballero, fronteira com Ponta Porã a 346 quilômetros de Campo Grande, mostram membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) em confronto com a polícia, na tentativa de resgate de Giovanni Barboza da Silva, o ‘Bonitão’, que acabou expulso do Paraguai, neste domingo (10).

Nas imagens é possível ver quando o grupo, que está fortemente armado, troca tiros com os policiais. Os membros da facção usam coletes a prova de balas. A troca de tiros durou cerca de 1 hora e várias cápsulas ficaram espalhadas pelas ruas, segundo o site ABC Color.

Teriam sido usados pelos membros da facção criminosa cerca de 30 fuzis. A maioria das armas já teria sido usada em outros crimes, inclusive, homicídios. Os fragmentos que ficaram espalhados serão analisados pela perícia paraguaia. Cerca de 10 carros fizeram um cerco a delegacia e 40 membros da facção criminosa passaram a atirar contra os policiais. Durante o ataque a delegacia, um homem acabou atingido por um tiro nas costas ficando paraplégico.

Na madrugada de domingo (10), momentos após a prisão da liderança do PCCgrupo fortemente armado com fuzis teria invadido o departamento de investigação onde ele estava. Um policial paraguaio chegou a ser feito refém e houve troca de tiros, mas a tentativa de resgate foi frustrada.

Durante a prisão de ‘Bonitão’ que estava a bordo de uma caminhonete, um fuzil da marca MOE, modelo FN15, série FNCR 001854, origem EUA, calibre 5.56 / .223, com dois carregadores e dois celulares iPhone foi apreendido com ele.

 

Fonte: midiamax