Corpo de escritora e radialista paraguaia é encontrado em decomposição

Damisela era uma ativista cultural bastante conhecida na cidade paraguaia (Foto: Divulgação)

A escritora e radialista paraguaia Damisela Ricardi Maidana, 66 anos, foi encontrada morta dentro de sua casa no Bairro Bernardino Caballero, em Pedro Juan Caballero, cidade separada por uma rua de Ponta Porã (MS), a 313 km de Campo Grande, na manhã desta quarta-feira (7). O corpo estava já em estado de putrefação e a polícia investiga o caso.

O corpo foi encontrado por familiares no quarto da vítima. A televisão estava ligada e a suspeita é que ela tenha sido morta na segunda-feira (5), data em que Damisela parou de dar notícias. Com a mulher foi encontrada uma corda, fato que levantou a suspeita de suicídio. No entanto, de acordo com o promotor de justiça José Luis Torres, há sinais de luta corporal na casa indicando um latrocínio ou feminicídio.

“Exames indicaram sinais de luta corporal entre a vítima e uma outra pessoa, levantando a possibilidade de que a cena tenha sido manipulada para forjar um suicídio”, disse Torres ainda em frente ao local do crime.

Segundo a imprensa local, à polícia, testemunhas afirmaram que Damisela recebeu visita de uma mulher antes de ser encontrada morta e os familiares notaram a falta do celular e de uma motocicleta da vítima. O caso segue sendo investigado.

Damisela era uma ativista cultural, poetisa e radialista, bastante conhecida e querida na cidade paraguaia. O Centro Cultural Municipal de Pedro Juan emitiu uma nota de pesar sobre a morte da mulher.

“Do Centro Cultural expressamos nosso profundo pesar pelo falecimento da poetisa e amiga Damisela Ricardi Maidana, incansável divulgadora da arte, especialmente da literatura, da poesia e da declamação. Sempre nos lembraremos dela”, diz a nota.

Funerária chegando para retirar o corpo e movimentação de família e amigos em frente à casa (Foto: Oásis FM)

Funerária chegando para retirar o corpo e movimentação de família e amigos em frente à casa (Foto: Oásis FM)

CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS