Destino traçado: Palmeiras conhece rivais no Mundial

Taça do Mundial de clubes - (Reprodução)

O Palmeiras não tem mundial, mas sabe-se lá até quando a piada que adversários insistem em repetir, principalmente quando se veem por baixo, vai perdurar.

Pelo segundo ano consecutivo a equipe palestrina representa a América do Sul no Mundial de Clubes da Fifa, que dessa vez vai acontecer entre os dias 3 e 12 de fevereiro de 2022 nos Emirados Árabes Unidos, local escolhido para substituir o Japão.

O país cancelou a disputa por causa do risco de agravamento da Covid-19 no país oriental.

Em sorteio realizado ontem (29), ficou definido que o atual bicampeão da Taça Libertadores terá pela frente os egípicios do Al Ahly ou os mexicanos do Monterrey, respectivamente, atuais campeões da África e da América do Norte e Central.

Como é praxe nos mundiais de clubes, o Palmeiras, por ser sul-americano, entra direto na fase semifinal, assim como acontece com o representante europeu.

Ou seja, o alviverde paulista entra em campo apenas duas vezes, na semi e final (ou na decisão de terceiro lugar, caso perca a disputa anterior.

As datas oficiais e horários das partidas ainda devem ser definidas pela Fifa. Do outro lado da chave, onde o protagonista é o inglês Chelsea,  aparecem na preliminar o Al-Jazira, time da casa, eo neozelandês Auckland City.

Quem vencer a partida encara nas quartas de final o saudita Al-Hilal, representante da Ásia, em duelo que vai definir o adversário do Chelsea na semi.

RETROSPECTO

Diferente do que aconteceu no Mundial anterior, quando o Palmeiras perdeu para o Tigres do México na semi e acabou também caindo diante do Al Ahly na disputa pelo terceiro lugar, os comandados por Abel Ferreira terão maior tempo de preparação.

Na última temporada o time teve que embarcar na sequência da final para a disputa do Mundial, visivelmente sofrente as consequências posteriormente em campo.

Diante do Al Alhy ou do Monterrey, o Palmeiras fará seu quarto jogo na história em um Mundial de Clubes com caráter oficial.

O primeiro foi em 1999, quando perdeu por 1 a 0 para o Manchester United – na época a competição também não era reconhecida pela Fifa, mas posteriormente foi equiparada aos demais torneios da entidade máxima do futebol.

Já a segunda vez foi a derrota por 1 a 0 para o Tigres, sendo a terceira o empate sem gols com o Al Ahly, que nos pênaltis terminou em um 3 a 2 muito comemorado pelos egípcios.

Contudo, além da maior preparação para essa competição, o Palmeiras também tem a favor o calendário.

Em fevereiro a maioria dos campeonatos nacionais estão em reta final, assim como os continentais, o que pode facilitar a vida dos alviverdes no Oriente Médio, principalmente se conseguir chegar à final e encarar o Chelsea – time que briga na ponta da tabela do Campeonato Inglês.

O time britânico também busca o bicampeonato da Liga dos Campeões da Europa. Tais disputas podem colocar o Mundial desta temporada em segundo plano, abrindo espaço para, finalmente, os palmeirenses conquistem o mundo.

 

Fonte: correiodoestado.com.br